Relação com Narcisista

Se tem ou já teve uma relação amorosa com uma pessoa narcísica, este texto é para si.

Pergunta-se como é, ou foi possível ter um relação com uma pessoa narcísica?

O problema não começa por seu, se bem que a forma de resolução caberá a si.

O problema começa porque nós humanos temos uma aversão natural á perda, por outro lado, junta-se a tendência para o otimismo romântico, e por fim uma grande afinidade com o reforço intermitente.

Por isso, quando se interessa amorosamente por uma pessoa narcísica é tão difícil terminar de uma vez por todas a relação. O próprio fato da relação terminar, cria uma ânsia e desespero que são alimentados pela aversão á perda e que funcionam como reforço intermitente quando a relação volta. É como se a pessoa estivesse a pensar e a sentir uma coisa quando está na relação e a pensar e a sentir outra quando está fora da relação.

No momento em que você termina a relação com a pessoa narcísica, a sua mente vai ficar cheia de memórias e recordações positivas. As coisas boas que viveram, o quanto especial essa pessoa a fazia sentir, o quanto você era importante para essa pessoa. Com essas memórias vem também um sentimento de perda de alguém muito importante e querido, uma pessoa única e insubstituível, uma perda irreparável. Um sentimento de vazio, desespero e desespero. Esquecidos ficam os fatos do que se passou e deu origem à necessidade da separação. Parece longínquo esse tempo. Só passaram 5 dias. Ficam esquecidas, para serem relembradas na altura em que a relação retomar, os sentimentos de desvalorização e de diminuição pessoal e na comparação com os outros. Esquecidas ficam as manipulações emocionais, às críticas pessoais e as injustiças de tratamento. Essas coisas que de fato acontecem são temporariamente esquecidas, anuladas da realidade, remetidas para uma justificação qualquer, que permita que o pensamento e o sentimento ajuste a realidade que se quer acreditar.